30 MAR

Investimentos em tempos de inflação

DICAS

Rentabilidade do mercado de imóveis

 

Em janeiro de 2020, antes da pandemia de Covid-19, a inflação foi de 0,71%. Ao fim do mesmo ano, fechou em 4,52%, a maior alta desde 2016. Hoje, segue subindo a passos largos. No acumulado de 12 meses, são impressionantes 10,25% de alta. Se consideramos a inflação nos últimos 12 meses, qualquer investimento, para acompanhar no mínimo a inflação, tem que alcançar 10,25% anuais.  Para quem direciona os recursos para a poupança, de acordo com especialistas, a previsão é que o rendimento fique em 6,07% este ano. As CDIs ou CDBs, que talvez sejam, depois da poupança, os investimentos mais procurados pelos conservadores, devem fechar no ano de 2021 em torno de 6,5% a 7,5%.

 

E quem tiver dinheiro aplicado nestas categorias, terá uma desvalorização, somente neste ano, em torno de quatro pontos percentuais. O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), acumulado nos últimos 12 meses, foi de 15,93%, ou seja, em média 5% acima da inflação. Assim, quem utiliza seu dinheiro para adquirir ou construir um imóvel, terá um ganho real em torno de 5% ao ano, o que não aconteceria com os investimentos antes citados. Se o valor médio do metro quadrado de um imóvel for R$ 2.500 e a pessoa comprar um bem de mil metros quadrados, será necessário desembolsar, em média R$ 2,5 milhões. Esses mesmo imóvel pode ensejar um aluguel em torno de R$ 50 o metro quadrado, o que terá como resultado a receita bruta em média de R$ 50 mil. Ou seja, a aplicação de R$ 2,5 milhões acima mencionada, vai gerar receita bruta mensal em média de 2% ao mês, ou seja, muito melhor que qualquer aplicação financeira. Para quem não tem recursos guardados, pode ainda fazer a aquisição de imóveis pelo sistema SFH, que é o Sistema Financeiro da Habitação.

 

As taxas de juros imobiliários, mesmo no cenário atual, variam entre 6,55% e 8,50% ano + TR, ou seja, abaixo da inflação. Independente da tabela escolhida, as prestações não aumentam. Portanto, se a inflação continuar subindo, a prestação que em um primeiro momento pode parecer alta, ficará irrisória com o passar do tempo. Além disso, este imóvel adquirido como investimento poderá ser locado, cujo valor pode ser usado para quitar as prestações. “Não é quanto você ganha que determina o seu sucesso financeiro, e sim o que faz com quanto ganha”.

 

Fonte: O Tempo

Cadastre-se e receba mais informações sobre nossos empreendimentos

Cadastre-se em nossa newsletter, siga nossas redes sociais e fique por dentro das novidades.